VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar este blog

domingo, 27 de setembro de 2009

VIII COLÓQUIO ANTERO DE QUENTAL


Igreja Nossa Senhora do Rosário - Tiradentes


Soprano Gina Biavati - Recital de canto e piano - Fundação Oscar Araripe - Tiradentes, 16 de Setembro de 2009


Lessi Corrêa e Benildes - Tiradentes


Antônio Paim e Tiago Adão Lara


Anna Maria Moog Rodrigues e Pedro Calafate


Alexandre Ferreira de Souza, Marco Antônio Barroso, Bernardo Goytacazes de Araújo, Prof. Ernesto Castro Leal e Humberto Schubert Coelho


Paulo Ferreira da Cunha e Ernesto Castro Leal


Membros do Instituto de Humanidades: Arsênio Corrêa, Antônio Paim, Ricardo Vélez Rodríguez e Leonardo Prota


José Esteves Pereira


Leonardo Prota, José Maurício de Carvalho, Arsênio Corrêa e Antônio Paim


Arsênio Corrêa, Antônio Paim e Leonardo Prota



De 14 a 18 de Setembro de 2009 teve lugar em São João Del Rei, na Universidade Federal dessa cidade mineira, o VIII Colóquio Antero de Quental, no anfiteatro do Campus Santo Antônio, sob a coordenação do professor José Maurício de Carvalho, com o patrocínio da Universidade Federal de São João Del Rei e o apoio do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira com sede em Lisboa e do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da Universidade Federal de Juiz de Fora. O evento, comemorativo dos sessenta anos de fundação do Instituto Brasileiro de Filosofia, teve uma temática bastante rica, como se pode observar da enumeração das comunicações apresentadas. Estas foram distribuídas ao redor de cinco eixos básicos: I - A transição da monarquia absoluta para a constitucional no Brasil e em Portugal, II – Primeira República, III – Estado Novo, IV – Diferenças e semelhanças entre as principais correntes políticas e V - Problemática da interface.

Seguindo na trilha dos eventos anteriores, o VIII Colóquio visou fazer um balanço comparativo entre o percurso seguido pelas idéias e instituições políticas em ambos os contextos, o português e o brasileiro, sendo que com este evento fechou-se o ciclo da comparação no terreno da política, passando os próximos eventos a serem cogitados no contexto de outras variáveis, como a ética, por exemplo.

As comunicações apresentadas foram as seguintes: “Sugestões para o estudo da política contidas em El Espectador de Ortega y Gasset (José Mauricio de Carvalho – Universidade Federal de S. João Del Rei); “Destino histórico da proposta de Silvestre Pinheiro Ferreira no Brasil e em Portugal” (Alexandre Ferreira de Souza – Núcleo de Estudos ibéricos e ibero-americanos da Universidade Federal de Juiz de Fora); “Razões da adesão de D. Romualdo Seixas ao governo representativo” (Antônio Paim - Instituto de Humanidades); “O contexto Histórico da Encíclica Mirari Vos – 1832 (Antônio Gaspareto - Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF); “Estabilidade política e sistema eleitoral; confronto entre Brasil e Portugal, Regresso vs. Regeneração” (Marco Antônio Barroso – Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF); “A instabilidade política da República de Portugal e do Brasil” (Humberto Schubert Coelho e Bernardo Goitacazes de Araújo – Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF); “O pensamento político de Campos Sales” (Arsênio Corrêa – Instituto de Humanidades); “Projetos e debates constitucionais nos alvores da Primeira República – 1910/1911” (Antônio Pedro de Mesquita – Universidade de Lisboa); “República e Positivismo” (José Esteves Pereira – Universidade Nova de Lisboa); “O pensamento político e geoestratégico de João de Andrade Corvo” (Pedro Calafate – Universidade de Lisboa); “O novo conceito da era Vargas , sua fundamentação teórica” (Ricardo Vélez Rodríguez – Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF, Instituto de Humanidades); “Estado Novo no Brasil e em Portugal: características distintivas no processo de constituição” (Leonardo Prota – Instituto Brasileiro de Filosofia e Instituto de Humanidades); “Portugal, semente de impérios, no pensamento integralista de Gustavo Barroso” (Manuel Filipe Canavieira – Universidade Nova de Lisboa); “Etapas do tradicionalismo brasileiro” (Tiago Adão Lara – Universidade Federal de Juiz de Fora); “Homenagem pelo 60º aniversário do Instituto Brasileiro de Filosofia” (Ricardo Vélez Rodríguez – Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF, membro do IBF e do Instituto de Humanidades); “Ideologia e utopia nas últimas Constituintes brasileira e portuguesa – Algumas linhas de leitura” (Paulo Ferreira da Cunha – Universidade do Porto); “Confronto do tradicionalismo político brasileiro com o português – Recuperação e atualização dos textos de Ubiratan Macedo – 1937/2006” (Antônio Paim – Instituto de Humanidades); “Razões da diferenciação entre o socialismo brasileiro e o português” (Rafael César Pitt - Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF); “A sobrevivência do liberalismo na cultura política luso-brasileira” (Antônio Paim – Instituto de Humanidades; Ricardo Vélez Rodríguez – Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da UFJF); “A idéia de confederação luso-brasileira nas primeiras décadas do século XX” (Ernesto Castro Leal – Universidade de Lisboa); “O tradicionalismo no Brasil de hoje” (Anna Maria Moog Rodrigues - Instituto Brasileiro de Filosofia e Academia Brasileira de Filosofia); “Lembrando o centenário: a filosofia do direito de Djacir Menezes” (António Braz Teixeira – Universidade Lusófona, Lisboa); “A interface Brasil – Portugal na política” (Mesa redonda de encerramento, com a participação de José Maurício de Carvalho – coordenador -, Antônio Braz Teixeira, Antônio Paim, José Esteves Pereira, Leonardo Prota e Ricardo Vélez Rodríguez).

O evento demonstrou, mais uma vez, a enorme vitalidade que caracteriza, contemporaneamente, aos estudos sobre história do pensamento e as filosofias brasileira e portuguesa, num momento em que infelizmente, no Brasil, ainda prevalecem os preconceitos das agências governamentais em face do estudo sistemático e pluralista do pensamento e da cultura nacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário